Boletim Econômico de junho traz estimativa de crescimento do PIB, menor taxa de desocupação e recorde nas exportações

  • PRIMER TV
  • 08/Jun/2022
  • 0
  • Boletim Econômico de junho traz estimativa de crescimento do PIB, menor taxa de desocupação e recorde nas exportações

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) lançou nesta quarta-feira, 8,  mais uma edição do Boletim de Indicadores Econômico-Fiscais de Santa Catarina. O material do mês de junho traz como destaque a estimativa do PIB, que está crescendo 6,4%. Além disso, o documento apresenta a atualização de indicadores, demonstrando o bom momento da economia catarinense.

“O mundo enfrenta muitos desafios, mas a economia estadual está bem tracionada, ou seja, o governo de Santa Catarina está em equilíbrio com as contas, gerando superávits e recursos próprios para investimentos, além da reconhecida competitividade do Estado”, destaca o secretário interino da SDE, Jairo Luiz Sartoretto. 

“Diante dos dados do primeiro trimestre e da base alta de comparação, a estimativa de crescimento da economia catarinense para os quatro trimestres terminados em março de 2022, em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores, apresentou alta de 6,4%”, explica o economista da SDE, Paulo Zoldan. 

Menor taxa de desocupação 

No acumulado do ano, a economia estadual registrou o segundo maior saldo de empregos da série iniciada em 2004, atrás apenas do acumulado no mesmo período de 2021. Foram 66.922 postos gerados e o terceiro melhor resultado do País, superado apenas por SP e MG.  

O setor de serviços segue liderando as contratações líquidas no mês (+6.359), influenciado pelos segmentos de Informação e Comunicação (1.897 postos); Administração Pública (+1.744) e Transportes (+1.406). 

Exportações atingem valor recorde

Santa Catarina exportou um valor recorde de US$ 1.042,7 milhões em abril, 12,3% a mais que em março. Foi o terceiro mês consecutivo de crescimento. O valor acumula alta de 27,3% no ano. No estado, o setor exportador se beneficia com o bom desempenho dos segmentos de frango, celulose, madeiras e motores e peças. 

Confira mais detalhes do Boletim Econômico-Fiscais aqui. 

Texto: Pablo Mingoti 

 Foto: Ascom/CNA

Comentar

0 Comentários