Obrigada, Duda

 

Brasileira é eleita a melhor jogadora de handebol da Europa em 2019 | LANCE!

Terminou no último final de semana, a carreira de atleta da maior jogadora de handebol do Brasil, Eduarda Amorim Taleska, a Duda, natural de Blumenau. Aos 35 anos, ela quer se dedicar ao curso de mestrado em gestão esportiva e constituir uma família.  

Duda Amorim e a seleção brasileira de handebol fizeram história no cenário mundial ao vencer a Sérvia em Belgrado em 2013, e se sagrar campeã mundial da modalidade. Um feito para o esporte brasileiro: primeira seleção das Américas a conquistar o campeonato mundial feminino. 

Em 2013 foi eleita a melhor jogadora da competição e ao longo da carreira colecionou títulos: Tri campeã pan-americana em 2007, 2011 e 2019. Melhor jogadora do Mundo em 2014, melhor jogadora da década 2011-2020 e pentacampeã da Champions League europeia, pelo Győri, da Hungria, em 2013, 2014, 2017, 2018 e 2019. A atleta ainda ficou na história dos Jogos Olímpicos com quatro participações: Pequim 2008, Londres 2012, Rio 2016 e Tóquio 2020. 

"Tive uma carreira linda"

Duda Amorim enfatizou sua trajetória esportiva com essas palavras: “Acredito que tive uma carreira muito linda. Muitas conquistas, muitas pessoas especiais no caminho, muito aprendizado, acho que vivi meu esporte ao máximo. E graças a Deus aproveitei muito. Agora descansar e preparar para uma nova fase. É um momento feliz! Sinto-me privilegiada”.

Duda também participou dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina e Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc), competições organizadas pela Fesporte, por vários anos. Para Sérgio Graciano, seu treinador, a Duda desde pequena era obstinada, perfeccionista, seguiu os passos da irmã Ana Carolina, num primeiro momento indo junto e depois iniciando os treinamentos. Com 15 anos ela foi jogar em São Paulo e depois de dois anos foi para a Macedônia e em seguida para a Hungria. 

Para Graciano, ela tem uma importância fundamental para o handebol, não só brasileiro, mas mundial. “Além de excelente atleta, foi um exemplo para as meninas mais novas. Sempre chamou a responsabilidade para ela, mas sempre acolhia as novatas com muito carinho, muito foco e força mental”, ressaltou. 

Por tudo isso, não somente a Fesporte, mas o handebol e o esporte brasileiro te agradecem. Seu nome ficará na história do esporte mundial. Muito Obrigado Duda! 

 

 

Gestão do Conteúdo-Ascom | Tecnologia-Open Source.

Comentar

0 Comentários