Covid-19: Vigilância Sanitária de São José atende mais de 700 ocorrências

  • Primer tv
  • 02/Jul/2020
  • 0
  • O órgão realiza ações de fiscalização desde o dia 23 de março para garantir o cumprimento das normas sanitárias decretadas no município

As ações de fiscalização em São José ocorrem desde o dia 23 de março, quando a pandemia da Covid-19 começou a tomar proporções maiores no Brasil. Desde então, a Vigilância Sanitária Municipal já realizou 747 ações. Conforme o balanço feito pelo órgão neste período, deste total, foram realizadas 335 orientações, 294 estabelecimentos foram intimados por alguma irregularidade, 28 foram interditados por não cumprirem as medidas e 13 sofreram processos administrativos sanitários que resultaram em penalidades como multas.   

Para a diretora de Vigilância Sanitária, Marly Previatti, em paralelo as ações realizadas pelo Município, a colaboração da sociedade é imprescindível neste momento: “A diminuição da contaminação depende da atitude individual de cada um. Nossos esforços são para garantir mais segurança e preservar a saúde de todos os cidadãos, mas apenas com a colaboração de todos é que vamos conseguir combater a pandemia”, avalia a diretora.  

Por iniciativa da Vigilância Sanitária e apoio da prefeita Adeliana Dal Pont, um decreto especial foi editado somente para regular o funcionamento de bares, botequins, pubs entre outros pontos comerciais que possuam balcão e mesas para servir bebida alcoólica e alimentos, por serem locais propícios para ocorrências de aglomerações.

Desta forma, ficou determinado que estes estabelecimentos devem manter a capacidade do local do atendimento ao público em 50%, além de garantir que profissionais e clientes mantenham a distância de 2 metros um dos outros. O acesso a estes locais só poderá ser feito com o uso de máscaras sendo a retirada permitida apenas durante o período de consumação.

A disponibilização de lavatório exclusivo para higienização das mãos de funcionários e clientes, a disponibilização de álcool em gel 70% em locais visíveis com as devidas orientações; a organização das filas de caixa e atendimento respeitando a distância mínima de 2 metros; higienização de superfícies, máquinas de cartão de crédito entre outras exigências também estão detalhadas no decreto.

Ainda segue proibida a realização de eventos públicos tipo shows, música ao vivo e apresentações similares.

 Novas medidas

O decreto publicado pela Prefeitura de São José em 23 de junho determina que restaurantes, lanchonetes, padarias, bares, conveniências e afins, poderão funcionar entre 6h e 23h, respeitando as regras de higiene e distanciamento social, exceto os casos de delivery. Já os supermercados podem funcionar das 6h às 22h, respeitando as regras já estabelecidas nos regramentos estaduais, ficando vedada a atividade de promotores de vendas.

Shopping, galerias e centros comerciais da cidade devem funcionar com a capacidade de no máximo 50% da ocupação total, das 12h às 20h, de segunda a sábado, permanecendo fechados aos domingos, inclusive as praças de alimentação. Devem ser observadas as regras de higiene e distanciamento já estabelecidas.

As academias e atividades afins podem funcionar com a capacidade máxima de 30% da ocupação total, das 6h às 23h. Lojas de conveniência de postos de combustíveis e estabelecimentos comerciais em geral devem encerrar suas atividades às 23h todos os dias da semana, devendo observar as regras de higienização e distanciamento social. Os serviços essenciais da rede de saúde, as farmácias e atividades definidas por ato da Vigilância Sanitária São José estão mantidos.

Ainda está proibida a permanência de pessoas em parques, praças, espaços públicos ou comunitários de lazer e nas quadras poliesportivas, playgrounds e nas academias ao ar livre do Município. Permanece proibida ainda a aglomeração de pessoas em qualquer ambiente, seja público ou privado, interno ou externo, para a realização de atividades de qualquer natureza, salvo os casos autorizados por ato em vigor das autoridades sanitárias, estadual ou municipal.

Os estabelecimentos interditados por motivo do descumprimento do decreto ficarão fechados por, no mínimo, sete dias. O uso de máscara, cobrindo boca e nariz, continua obrigatório em todo o território municipal. Caso os estabelecimentos comerciais estejam com pessoas sem o uso da máscara, será multado em 8,00 URM, cerca de R$ 1.600.

Comentar

0 Comentários