7 de Setembro em Florianópolis

As arquibancadas da passarela Nego Quirido lotaram na manhã desta sexta-feira (7) de feriado. De acordo com a Polícia Militar, cerca de 10 mil pessoas estiveram presentes no sambódromo para acompanhar o desfile cívico do Dia da Independência, em comemoração aos 196 anos da ocasião.  

A solenidade teve início por volta das 9h com a ginasta Yasmin Gabriele Jorge, de 13 anos, que acendeu o fogo simbólico. Yasmin é atleta de ginástica rítmica do Instituto Estadual de Educação (IEE) e coleciona diversos títulos, como o bicampeonato nos Jogos Abertos de Santa Catarina em 2017 e foi a quarta colocada no campeonato Pan-Americano de Ginástica também em 2017.

   

  Cinco escolas da rede pública da Grande Florianópolis desfilaram, além do Instituto Estadual de Educação (IEE) e o Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires. Este ano participaram as escolas Professora Maria do Carmo de Souza e Governador Ivo Silveira, de Palhoça, Professor Laércio Caldeira de Andrada e Wanderley Junior, ambas de São José, e a escola Ildefonso Linhares, de Florianópolis.

As unidades apresentaram seus projetos internos e exibiram faixas e cartazes contra a violência, o racismo, o machismo, a homofobia e o bullying. As crianças do IEE aproveitaram para lembrar da importância da vacinação.

Estiveram presentes também o entidades de caráter social, como os Grupos de Aventureiros e Desbravadores, da Igreja Adventista, os Escoteiros do Brasil e o Grupo de Apoio aos Familiares de Desaparecidos (GAFAD), que atua junto a SOS Desaparecidos de Santa Catarina.

Na arquibancada, os pais corujas Sandra Mara de Oliveira, de 35 anos, e Vilmar Rauber, 37, aguardavam ansiosos pela passagem do filho, Gabriel de Oliveira Rauber, 10, que desfilou pelo Clube Desbravadores. O casal é natural do interior do estado, mas mora na Cachoeira do Bom Jesus, no norte da Ilha, há 18 anos. Para Sandra, ver o filho participar de um ato cívico ajuda a manter o espírito patriótico.

— Essa é a primeira vez que ele desfila, estamos ansiosos e ele também, se preparou, ensaiou bastante, é um orgulho pra gente até porque hoje em dia foi se deixando para trás essa cultura que antes tínhamos nos colégios, quando cantávamos o hino todos os dias e desfilávamos — diz Sandra.

 

  As Forças de Segurança do Estado e as Forças Armadas desfilaram em seguida e foram aplaudidas pela plateia, que lotava as arquibancadas. A conclusão ficou por conta do desfile motorizado, com viaturas da Polícia Militar, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros, do helicóptero Arcanjo e do Arcanjo 02, avião do Corpo de Bombeiros e do Samu. Por volta das 11h o evento foi encerrado com a cavalaria.

A dona Maria de Lourdes Bezerra do Nascimento, 61, saiu cedinho da Tapera, no sul da Ilha, para ver o filho, que é soldado do Exército, na Passarela Nego Quirido. Orgulhosa, a dona de casa foi acompanhada do marido e da filha caçula de 8 anos.

— Eu amo acompanhar o desfile de Sete de Setembro, é a nossa pátria, sou brasileira.

 

  O soldado da Rocam do 7º Batalhão da PM de São José, Rodrigo Schweitzer Delduque, não desfilou, mas foi com a família acompanhar o desfile. A esposa Juliana da Costa Schweitzer Delduque, 29, conta que após o nascimento do filho, hoje com três anos, eles começaram a participar mais do evento cívico.

— Queremos criar nele este patriotismo, o amor à pátria e o respeito. Queremos plantar esta semente para que ele leve para a vida toda, pois a nossa geração perdeu um pouco disto — diz Rodrigo.

   

Trânsito congestionado

Os motoristas que seguiam pela Via Expressa (BR-282), em direção à Ilha, enfrentaram filas logo nas primeiras horas da manhã por conta das alterações do trânsito feitas para o desfile. A região central e a entrada da Ilha seguiam congestionadas também em função das mudanças ocasionadas pela 9ª edição da Fenaostra, a Festa Nacional da Ostra e da Cultura Açoriana, que teve início às 11h, na Praça Fernando Machado.

A interdição da Avenida Gustavo Richard, até o túnel, deve seguir até o meio-dia. O tráfego da Ponte Pedro Ivo está sendo desviado para a Avenida Paulo Fontes para quem entra na Ilha. Já para os motoristas que vêm do sul, o desvio está sendo feito pela marginal da Avenida Gustavo Richard, ao lado do Fórum. O trânsito no local está sendo orientado pela Guarda Municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *